<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15754125\x26blogName\x3ddaquilo+que+vibra\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://doverbovibrar.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://doverbovibrar.blogspot.com/\x26vt\x3d2615184620448930177', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

daquilo que vibra

poesia, opinião e devaneios; ou tudo isso junto e temperado

quarta-feira, dezembro 21, 2005

O ano terminará igual

Eu fiz este artigo para a cadeira de Redação jornalística III.
E bem na real, é isso aí.
Só não meti mais o pau porque tinha que entregar à professora.
Sabe como é, jornalismo impessoal, nem que seja um pouquinho, hehehe.

O jogador de futebol Edmundo, o Animal como é conhecido, recebeu voz de prisão da polícia, na zona sul do Rio de Janeiro, por desacato à autoridade e por estar guiando bêbado. Ele saiu de uma boate com uma amiga nesta madrugada e entrou em seu carro para voltar para casa. Os policiais pediram para ele descer do automóvel, mas o jogador resistiu à ordem. Pelo depoimento da amiga, Edmundo disse que aquilo era uma palhaçada e que não iria descer do veículo. Acabou sendo levado para a delegacia onde prestou depoimento por toda manhã de hoje e pagou uma fiança de R$ 3 mil. O jogador vai responder em liberdade ao processo por desacato à autoridade e direção perigosa.
Quantos casos acontecem todos os dias de pessoas que dirigem alcoolizadas? Muitos. É quase normal o descaso com isso. Assistimos a tantas campanhas, não só contra dirigir embriagado, mas contra a AIDS, a prevenção de tantos cânceres, campanha contra a fome, é muita publicidade que cresce em cima desta “preocupação” mídiática em agir corretamente, com ética. Mas o que está sendo posto em prática? Pouco. É fim de ano, Natal, e encerramos 2005 com os mesmos acontecimentos de muitos anos passados... Uma celebridade, como o jogador Edmundo, comete uma infração - nada sério comparado a realidade criminal que o nosso país vive - e ele é exibido como prêmio nos jornais do dia seguinte. Por que com ele a campanha deveria fazer efeito, e se não fez, a nossa polícia soube dar a lição necessária. Mais um que a polícia brasileira tentou subornar enquanto deixou de fazer o seu trabalho. Mais um ano que vai acabar. Bem parecido com o Brasil de ontem, não acham?